terça-feira, 22 de setembro de 2009

Todos os dias vês gente linda que não se acha suficientemente boa, que não gosta de si. Como é possível se são perfeitas, maravilhosas, que monstros deixaram entrar nas suas cabeças? Esses monstros estão por aí, também são lindos, só esperam carinhos e abraços, mas por agora só sabem deitar fogo pelas ventas. Esses monstros entraram nas suas vidas e prenderam tudo. Mas não foi por mal, só ainda não sabem que o amor é para o outro lado. Quando vês fazerem sofrer alguém que amas dói não ter dó do monstro e quase que eras capaz de pegar na espada e fazê-la engolir e depois o monstro lançaria rugidos de agonia e contorceria a cauda de espinhos e quereria lançar labaredas do mal mas já lhe cortaste a língua e dá um rugido final e cai num precipício de lava e é purificado e todo o mal se evapora. Por mais que acredites em contos de fada sabes que não é assim. Só que tens todo o tempo do mundo e esperas.

2 comentários:

Paulo Sérgio BEJu disse...

"tão agudo se tornou o ruído do teu decote"...e como, em MIM grave se fez sentir as coisas que escreve.
Tantos blogs para navegar, e vimos aconchegar-nos sempre, onde a luz do sol nos leva com vigor. Tive contacto com seu blog, através do comentário que deixou na "casa do osso". "Lindo, Lindo". Entendo esse compromisso da emotividade, quando algo nos toca. A pele a desenhar palavras circunscritas ao coração.
Li "amor" na sua escrita, um vento longo a reformular o ar que respiramos. Talvez entenda, do seu Dizer, sobre o OUTRO deixado em nós.
Um corpo deverá ser incêndio, quando as palavras que o descrevem, falam com singela descrição.
Eu gosto de percorrer o corpo do seu texto, entrecruzando bocas, através da simplicidade de uma escova de dentes. Beijos deixados numa esquina "qualquer", tão familiar. "Percebo" dessa sua comunhão com aquilo, que vhm dita ao mundo, com sua escrita. É de amor que ele também fala, num pretexto da verdade dos corpos face à estúpida "verdade" tecnológica.
Prometo que irei passando pelo seu espaço...amélie... como resguardo cinematográfico. Para o qual os meus aplausos, sinceros.

amelie disse...

uau, que bonito tudo o que dizes. Obrigada. Volta sempre.